#04 – A Origem (Inception)

Como eu acho que ninguém leu o post anterior falando sobre o ótimo filme A viagem de Chihiro não vai fazer diferença eu falar agora sobre o Homem de Ferro 2 ou sobre A Origem. A verdade é que eu estava assistindo O Homem de Ferro 2 e a senhorita Kristianne Leite conseguiu me tirar de casa para ir a uma festa! Detalhes da festa a parte, eu não terminei de ver o filme e ontem resolvi assistir A Origem, filme que estava ansioso para assistir muito antes do seu lançamento, principalmente pela dupla DiCaprio/Nolan.

Diretor: Christopher Nolan
Duração: 148 minutos
Ano de lançamento: 2010

“Um paradoxo é uma declaração aparentemente verdadeira que leva a uma contradição lógica, ou a uma situação que contradiz a intuição comum. Em termos simples, um paradoxo é o oposto do que alguém pensa ser a verdade.”

Comecei com a definição de um paradoxo, pois entre tantas coisas que me confundiram ao assistir este filme, esta foi uma das mais marcantes. Desde o começo o longa mexe com nossas cabeças fazendo-nos questionar a veracidade e a racionalidade dos personagens. A intensa troca de ‘mundos’ faz com que cada segundo perdido dificulte o acompanhamento da linha de raciocínio. Sonho versus realidade, razão versus inconsciente e tudo isso misturado com muita ficção.

A história não poderia ser melhor nem mais insana, um ladrão de pensamentos e idéias que ataca durante o sono das vítimas, o momento em que as defesas mentais estão em baixa. Pela lógica do filme, roubar a mente é fácil mas seria possível manipular e inserir idéias e/ou pensamentos?! Para Cobb (Leonardo DiCaprio) era possível sim e é partir desta tentativa do protagonista que o filme se torna grandioso. Construir cenários, manipular os pensamentos, interagir com as projeções da mente, tudo isso era possível dentro dos sonhos. Quer confundir ainda mais? ok, imaginem uma recursividade de sonhos!

A forma como a idéia foi tratada e sutilmente explicada no decorrer do filme é mais uma prova da grande capacidade do diretor Christopher Nolan. A distorção da realidade com o subproduto do inconsciente faz com que a maioria das pessoas que assistiram este filme se pergunte ao final: verdade ou imaginação? Mesmo porque nem Freud imaginaria sonhos sobre sonhos…

O filme é ótimo e cabe muito espaço para discussões e interpretações. Espero que compartilhem da mesma opinião.

Agora dou uma pausa com os filmes para acompanhar séries também. Leia-se séries como The Walking Dead =D Abraços.

Anúncios
Esse post foi publicado em Cinema e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para #04 – A Origem (Inception)

  1. Florinda disse:

    Voce nunca sonhou que estava sonhando?

    • darrudapinto disse:

      Opa… mais um comentário! :p Respondendo: Já sonhei sim, mas nunca sonhos em 3 níveis, o que deve ser bizarro!! =D Vc viu o filme? O que achou? Comente ae…

  2. Florinda disse:

    É um bom filme, mas eu esperava mais. Acho que esperava um Matrix. RS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s