#68 – Biutiful

Biutiful Direção: Alejandro González Iñárritu
Duração: 148 minutos
Ano de lançamento: 2010
Prêmios:
– Melhor ator para Javier Bardem em Cannes 2010
– 15 outros prêmios em festivais mundiais

Este filme estava na minha lista do IMDB fazia tempos e eu não nunca havia parado para assisti-lo. Finalmente o fiz na sexta à noite e agora chegou a hora de escrever sobre as minhas reflexões e impressões, espero que gostem…

A mesma história poderia ter sido piegas se não tivesse sido filmada da forma como foi. O diretor foi capaz de misturar vários tabus de maneira tão densa que tudo no fim se transforma num tapa na cara do telespectador. Uxbal (Javier Bardem) é o centralizador de todo o medo, angústia, mal estar e contradições, decorrentes da vida que leva, e isso por si só já nos deixa bastante incomodados.

São retratados temas como a homossexualidade, religião, contrabando de produtos falsificados, exploração de mão-de-obra, corrupção e morte, é claro. Tudo isso vai se fundindo no decorrer do tempo e deixando o clima mais pesado, tenso e triste a cada cena.

Uma coisa que descobri somente depois de assistir é que o diretor deste é o mesmo que de filmes bastante conhecidos, como por exemplo 21 gramas, Amores Brutos e Babel. O único que já vi foi Babel e foi bem na época do lançamento, acho que não tinha maturidade suficiente para fazer uma reflexão muito profunda sobre. Quanto aos outros pretendo assistir em breve.

O nome Biutiful a principio é bastante estranho mas o origem dele é explicado ao longo da trama, de muito interessante inclusive.

Com certeza um filme para ser assistido mais de uma vez e muito bom para incitar discussões sobre vários temas que as vezes evitamos. São assuntos para os quais as vezes fechamos os olhos como se não existissem e no fim da contas nos tornamos todos responsáveis, mesmo que indiretamente.

Abraços e bom começo de semana para todos que acessaram e tiveram paciência de ler até o fim.

Anúncios
Esse post foi publicado em Cinema e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para #68 – Biutiful

  1. Nany disse:

    aquele embrulho no estômago, aquela ânsia leve mas ao mesmo tempo intensa que mistura até seus neurônios.
    realmente a fotografia do filme é impecável!
    ótima dica, assistirei novamente no futuro, com certeza!
    acho que ele se encaixa perfeitamente naqueles filmes que dependendo da sua condição psicológica do momento, sua “maturidade” e sua disposição pra absorver a obra, ele vira um filme totalmente diferente.
    🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s